Retidão, afeição e salvação

É a retidão e a afeição do Pai que nos salvou do mal da morte, para que fôssemos, depois de resgatados por seu Filho, justos e amorosos. Não há boa ação nossa que possa nos salvar, senão apenas confirmar como salvos. Portanto, a insubmissão ao Filho é uma injustiça que nenhuma boa obra pode encobrir, assim como amar somente ao próximo, ignorando quem nos oferece vida sobre vida, é o grande erro da maioria das doutrinas religiosas. E, por experiência própria, questiono se é possível alguém amar a si e ao próximo em desobediência ao próprio Ágape que nos criou.

As dimensões do Reino

Venha a nós o vosso Reino, para mim, significa que cada pessoa será valorizada e reconhecida por quem é, ou melhor, pelo quanto o Todo-poderoso laborou em cada uma, e pelo quanto cada um de nós colaborou com este processo, tanto individual quanto coletivamente. Significa que o mal, causador do sofrimento, será subjugado por completo. Significa que os desde já reinados reinarão por mil anos junto com o Rei dos reis, vivendo o sonho da plena comunhão entre o Criador e suas criaturas.

E para você, o que significa o estabelecimento do Reino?

Dar o sangue, não tirar

Historicamente, o islamismo é um reflexo, uma reação e um eco do extremismo católico predominante na época em que Maomé nasceu. Se o catolicismo era imperialista, o islamismo surgiu para freá-lo. Se o catolicismo era violento, o islamismo surgiu para combatê-lo. Existem homens pacíficos em todas as religiões, mas nem todas as religiões nasceram pacíficas. Dar o sangue é fazer a paz, é herdar a terra, é ressurgir dos mortos, o contrário nunca foi nem nunca será.