E agora?

Como chamar de nosso um tempo que sequer chegou? O único tempo que temos é o agora, e o tempo que tivemos já passou. Esta vida é um presente que só abrimos de fato quando termina. Logo, não conte com isso de que se tem muito tempo pela frente, porque o dia e a hora de cada um chegam de repente, sem avisar, sem permitir despedidas.

“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.”

1 Coríntios 15:58 ACF

Audiência

Cada vida é, a uma certa maneira, um microcosmo. Se cada formiga pudesse saber o que acontece com milhões de outras formigas mundo afora, certamente ou se rebelaria ou se deprimiria. Mas como cada formiga está ciente apenas do que diz respeito ao seu formigueiro, focada somente no progresso do seu formigueiro, não se rebela ou deprime.

Continuar lendo “Audiência”

Faça-se a felicidade

Do que precisa a felicidade para ser? Precisa de liberdade. Então ocorre-me que as crianças são bem felizes, mas não exatamente livres, ao menos não em termos físicos, mas suas emoções, expressões e, imaginação, sim. Seria a noção de tempo limitado uma prisão, já que as crianças não carregam o peso do passado, nem se deixam carregar pelo empuxo do futuro? Concluo: que a intensidade do presente deveria ser o bastante; que a liberdade parte do ser.

Continuar lendo “Faça-se a felicidade”