O poder da única crença que liberta

O efeito psicossocial da crença geral no evolucionismo, ou seja, de que o homem teria vindo do macaco, rebaixa individual e socialmente nossa condição à de meros animais racionais, e isto tem consequências degradantes no comportamento humano, pois este se baseia nas crenças, na cultura. Outra teoria perigosa é que, tudo que existe, fora soprado por um buraco menor que a cabeça de um prego, e que portanto, estaríamos vagando num universo gigantesco, no qual este mundo seria apenas um grão de areia, e nós, menores ainda. O fato é que toda ideia, se aceita individual e socialmente, têm um efeito determinante, para bem ou para mal. Assim sendo, não estranhe se as pessoas estiverem, por exemplo, adulterado como animais, brigando como bichos, se prejudicando como feras selvagens, se matando como se a vida fosse um jogo violento. Lembre-se do em quê a maioria das pessoas crê, e você não estranhará. Continuar lendo

Os laços entre o egoísmo e a incredulidade

Quando alguém declara não crer em qualquer forma de vida além desta, quando argumenta que só existe vida por causa do corpo, ou que da morte ninguém jamais retornou (o que não é verdade), e assim por diante, podem surgir, da parte de quem ouve, as seguintes perguntas: “mas e quanto aos bebês que viveram por dois ou três anos, e faleceram? Sendo esta a única vida, então foram desprivilegiados? E quanto aos que cedo foram mortos ou fisicamente lesados para toda a vida, quer por outra pessoa, quer pela ambição dos grupos de pessoas, mereciam este fim? Se a única justiça da qual podemos esperar é a terrena, como serão recompensados os que partiram tão injustamente? E não havendo justiça fora desta vida, então compactuamos na prática com as desigualdades sociais, com os enriquecimentos ilícitos, com as regalias e as misérias, ambas absurdas, do país onde moramos?” Continuar lendo