Parábola dos dois irmãos

Um pai precisou viajar por dois anos, deixando a seus dois filhos jovens, todos os recursos necessários para aprenderem um ofício, além de instruções claras a respeito de como deveriam se ocupar, sob a promessa de recompensas na presença do pai, incluindo passeios. Então um deles, aproveitando a ausência do pai, ocupou-se de festas, bebedeiras, orgias, e brigas por diversão. O outro, sabendo que o pai a nada estaria alheio, ocupou-se de seguir-lhe as instruções, agindo da mesma forma que agia na frente do seu genitor. Continuar lendo

Anúncios

Livrai-nos do mal que não queremos praticar

Que tal se nós, eu, você e quem mais quiser, focássemos mais no mal que parece vir de dentro, da gente mesmo, do que no mal que parece vir de fora, dos outros? Já parou para notar o quanto nos preocupamos, o quanto nos aplicamos em evitar o mal? “Livrai-nos do mal” talvez nunca tenha feito tanto sentido quanto hoje em dia, mas será que é com o mal de fora que mais devemos nos preocupar? São muitas as maldades, os perigos, os enganos que a “modernidade” trouxe, com certeza; contudo, é a maldade dos outros que macula a nossa consciência, que contamina nossas emoções, que nos diminui enquanto seres humanos? Definitivamente, não. Pode até ser que a fraqueza ou a maldade do outro se torne numa tentação para nós, mas ainda teremos escolha, sempre. Estamos todos aprendendo a andar, especialmente aqueles de nós que se esforçam por acertar, ou melhor, se acertar. Continuar lendo

Castelos de areia

Se você pudesse, começaria tudo outra vez, mais experiente? Se você pudesse, jogaria fora o peso dos erros e do passado? Pois é, são tantos os desafios, os desenganos, não? Então, eu conheço alguém que pode te ajudar nisto, neste caminho que não é de religião, mas de restauração; que não é invenção de homens, mas uma oportunidade de recomeçar. O mundo não vai mudar ao seu redor, mas você vai mudar a forma de interagir com todo mundo. Você já fez do seu jeito, e ficou penoso caminhar assim. E se você ganhasse um novo coração, feito o de uma criança, não seria bom? Por favor, entenda: os ensinamentos do Messias e daqueles que o viram, são totalmente bons, só levam a praticar o bem, a justiça e a generosidade, então porque se afastar desta maravilhosa luz? Porque seguir outras doutrinas, crenças, ideologias, filosofias e costumes? Dê uma chance para a vida, para viver com humildade, com pureza, com liberdade, com gentileza. Então seus vícios serão grades de uma cadeia sem trancas, e seus medos darão lugar a um amor maior do que o de mãe, pois transcende a vida, o tempo e as certezas desta sociedade, sólidas como castelos de areia. Continuar lendo