Desonra criminosa

GossipUma jovem saiu à noite não se sabe para quê, e numa certa esquina, viu sua colega de classe conversando com jovens prostitutas, vestida de maneira incomum, então concluiu para si que sua colega estaria vendendo o corpo, como aquelas outras jovens. No dia seguinte então, com seu grupo colegas, comentou à parte: “vi beltrana ontem na esquina, conversando com aquelas prostitutas, com uma roupa assim, e acho que ela está se prostituindo”. Então, também suas colegas comentaram a outrem um pouco mais do que o mesmo, dizendo que aquela jovem estaria se prostituindo, porque alguém assim (supostamente) viu.

Um jovem falou algo sobre a segurança de um banco para alguém que pensava ser seu amigo, e o mesmo comentou com outro, que por acaso, conhecia alguns policiais: “fulano está por dentro de como funciona a segurança daquele banco tal, acho que ele está em algum esquema de roubo.”

Podemos dar um desfecho terrível para estas duas estórias: no caso da primeira, o fato acrescido de uma impressão, chegou ao ouvido do pai da jovem, que a expulsou de casa (ele era um pai bastante ortodoxo); no caso da segunda estória, o jovem que se interessava por segurança patrimonial, foi raptado e torturado por um grupo de policiais corruptos (que quem sabe queriam ou uma confissão, ou mesmo roubar o tal banco).

Moral das estórias: quando você comenta ou repassa um comentário sobre a vida ou mesmo uma atitude (aparentemente suspeita ou maldosa) de alguém, pode estar recebendo e mesmo repassando, uma informação prévia e erroneamente interpretada, o que pode não ter consequências tão graves quanto nas nossas duas pequenas estórias, mas que com certeza terá consequências, pois causará decepções, desentendimentos, e por ser um crime contra a honra, o de difamação, pode até resultar em um processo contra os seus perpetradores. Portanto, se você acredita ser uma pessoa de bem, não fale e nem dê ouvidos à comentários maliciosos, porque no menos grave dos casos, causarão desconfiança entre as pessoas. E não se esqueça: ninguém conhece a intenção de ninguém, e principalmente, as aparências enganam.

“Toda informação acompanhada de uma interpretação, deixa de ser fato para ser apenas uma versão.”

Anúncios