Qualquer truque contra a emoção

my_bleeding_heart_by_eliantart-d574suk-corte
Eu não imaginei que naquele dia, ao fechar a porta com certa ingenuidade, eu iria um pouco adiante do que já conhecia, e fui, sem medo, intenção, culpa e emoção: inflamado o sangue, congelado o peito. Tanto quanto o tato, o paladar e a visão, o olfato e a audição, foram contemplados cada um com sua sensação, mas não o meu coração.

Pobre coração, tão maltratado pela própria carência de seus remendos repletos de vazamentos, sangra ainda mais quando tenta, por vezes em vão, se curar sem os cuidados de quem o deveria guardar para viver. E naquele dia nada parecia pecado, como da primeira vez em que o ser humano pecou, porque naturalmente o homem foi feito para a sua mulher, e injusto foi quem pouco amou, tanto a si, quanto a quem se entregou.

Hoje somente a lágrima e o arrependimento sinceros podem limpar da cara a vergonha, dos ossos o desgaste, de ter me dado um pouco mais, sem ser pela certeza do amor sentido, por isto fraqueza e torpor me entristeceram, e de quebra a “solidão com calor” veio tirar o seu sarro, contudo nunca foi o meu caso, como o da canção que diz “qualquer truque contra a emoção”. Pretendo dar passos mais firmes, quem sabe ouvir mais a razão, e assim amar e ser amado, com a grandeza de não ter pressa, de não ser facilmente carnal, e de não temer a rejeição.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s